fbpx
Tag

alimentos

O Ayurveda e a nossa imunidade

A visão do Ayurveda de um corpo forte e saudável está retratada em escrituras muito antigas e que sempre serão sábias referências se quisermos tornar os princípios desta ciência milenar aplicáveis em nossa vida de forma simples e eficaz. 

Para o homem ocidental, que em geral pauta a sua vida por objetivos profissionais, colocando em segundo plano atividades de bem estar (família, amigos, alimentação, exercícios e meditação), passar um tempo descansando, sozinho ou em silêncio, via de regra, tende a produzir sentimento de culpa e a sensação de estar sendo improdutivo, dificultando a compreensão de que, justamente, são nos momentos em que o organismo se sente cansado e sobrecarregado é que se abre a oportunidade para refletir e cocriar novas rotinas, lançar novos objetivos e desafios e equilibrar as áreas da vida, dando um maior valor à preservação da saúde em todos os níveis, por meio da adoção de hábitos mais que recomponham a vitalidade e as defesas do corpo.

Mas como podemos nos fortalecer e ter uma imunidade forte?

Todos nós queremos ser saudáveis e resistentes, ou mesmo imunes, às doenças. Contudo, costumamos esquecer que, antes de mais nada, elas são consequências diretas do nosso estilo de vida, das escolha que fazemos, da nossa alimentação, dos cuidados de higiene, do sono, da nossa relação com o trabalho, com as pessoas, etc. À luz do Ayurveda, somos um complexo de corpos que precisam se manter em harmonia e, para tanto, precisamos perceber e atender nossas reais necessidades, ter consciência de quem somos, da nossa natureza e a relação que precisamos ter com o meio ambiente e tudo o que nos cerca.

O Ayurveda trata a causa raiz dos nossos desequilíbrios. Para esse milenar sistema medicinal, cada indivíduo é único, e contar com um apoio profissional no tratamento de problemas específico é importante para que se consiga empreender o processo de cura e autoconhecimento de forma direcionada e efetiva, resultando no aumento da energia vital e da força imunológica, sem as quais dificilmente manteremos um corpo saudável e apto à realização de mudanças positivas na nossa vida.

Criar estratégias que sejam acessíveis, por meio de recomendações simples e pontuais, é parte de um tratamento, cujo ponto de partida é organização de hábitos e rotinas. O Ayurveda parte do princípio de que o nosso organismo é inteligente, de forma que orientações aparentemente simples, aliadas a práticas terapêuticas adequadas, habilitam nossa própria fisiologia a promover e proteger a nossa saúde.

Ayurveda: o que mais devemos compreender?

De acordo com o Ayurveda, a imunidade forte é, antes de mais nada, o produto de uma boa digestão, que resulta de um funcionamento hepático de qualidade e um sistema endócrino/hormonal equilibrado. A imunidade também está muito ligada a uma substância misteriosa chamada “ojas”, palavra sânscrita que significa “vigor, vitalidade a força da vida em nós”.

No entanto, no corpo, o “ojas” é um aspecto extremamente sutil e de difícil definição, mas que tem íntima relação com a imunidade, não sendo exagero afirmar que sua força determina quais fatores e influências, internas ou externas, podem causar doenças nos indivíduos.

Sendo assim, é necessário termos uma compreensão ainda que panorâmica sobre este aspecto dentro da abordagem ayurvédica e da sua importância para o fortalecimento do sistema imunológico. 

imagem do Curso de Formação AYURVEDA CLÁSSICO 

Ojas – o que é?

Ojas é a essência sutil positiva de kapha – aquela que dá ao corpo força, vigor, vitalidade e imunidade. É a essência, o suprassumo, de todos os tecidos corporais e o produto final da digestão perfeita.

Ojas é o resultado direto da qualidade do agni (poder de digerir e metabolizar), um agni forte produz ojas saudáveis, enquanto um agni prejudicado dificulta a produção e a sua qualidade. Em um contexto mais amplo, ojas também é afetado por traumas passados, escolhas de estilo de vida, níveis de estresse, qualidade de nossos relacionamentos e estado geral de consciência. Ojas é naturalmente rico em soma (a forma mais sutil da matéria), podendo se tornar consciência.

Quando temos um ojas saudável, podemos promover um estado de bem-aventurança. Ele é protegido quando somos capazes de viver o momento presente com consciência pura e desapegada. Por outro lado, ojas poderá diminuir e secar quando nos esforçamos em excesso, estamos estressados, contraídos ou egoístas. Ele também protege o prana, a força vital que anima cada um de nós.

Vivemos um momento singular e muito importante para potencializar os ojas em nosso organismo.

O planejamento de estratégias terapêuticas que protegem os ojas sustentam a saúde ideal em todos os nossos sistemas e são indicadas para serem realizadas a qualquer momento. Todavia, existem momentos em que podemos estar mais vulneráveis, ocasiões em que necessitaremos dar maior atenção a este aspecto, tais como:  

  • Quando estamos acometidos por alguma doença;
  • Estresse excessivo;
  • Mudanças de estações;
  • Períodos de gripes e infecções virais;
  • Períodos de tratamentos rejuvenescedores ou de desintoxicação;
  • Mudanças nas rotinas e hábitos;
  • Acontecimentos novos e importantes na vida, pessoal, profissional, perdas, separações, mudanças, gravidez, maternidade, etc.

Como proteger Ojas e reforçar a imunidade

Quando ojas é afetado, todos os aspectos da nossa vida são também. Algumas recomendações importantes e potentes para promover ojas e, consequentemente, fortalecer a imunidade são as seguintes:

  • Apoie a imunidade com uma dieta personalizada e de qualidade, dando importância a uma digestão saudável, isto é, que aumente agni (o poder de digerir). Retire de sua dieta os estimulantes, como o açúcar refinado e alimentos quimicamente processados, e aprenda combinar alimentos.
  • Respeite o momento das refeições com silêncio e harmonia. Isto também fortalece e promove agni e consequentemente ojas;
  • Inclua o uso de alho na dieta, pois este acorda agni, mantém a temperatura do corpo, dá força aos pulmões e ajuda a destruir e eliminar as toxinas, sendo assim, ajuda o sistema imunológico, eliminando bactérias nocivas e preservando a flora natural;
  • Tenha um sono equilibrado, pois ele é extremamente importante para o sistema imunológico, a privação do sono compromete severamente a imunidade. Existem estudos que, inclusive, associam a sua relação com o aumento o câncer; 
  • Administre e reduza o estresse. O excesso de estresse é extremamente prejudicial para a nossa resposta imune, os hormônios ativados pelo estresse debilitam em muito o sistema imunológico, realocando recursos vitais para garantir nossa sobrevivência imediata.
Respiração, meditação, hábitos saudáveis que são ensinados aqui nos cursos.

Agora, aprenda e conheça novas ferramentas úteis para utilizar em situações e relacionamentos desafiadores.

  • Tenha uma rotina diária organizada com práticas benéficas, de acordo com a sua biotipologia;
  • Tenha regularidade e ritmo nas suas atividades para adaptar a fisiologia do organismo aos novos hábitos. O Ayurveda recomenda uma rotina diária para todos. Como as rotinas diárias ajudam a acalmar o sistema nervoso e a aliviar o estresse, poderão auxiliar na preservação da imunidade. Estabelecer um compromisso com a rotina fornecerá ao sistema nervoso vários pontos de referência tranquilizadores ao longo do dia, acalmando o nosso sistema, criando com o tempo previsibilidade e segurança para estimular o rejuvenescimento e preservar a função imunológica;
  • Pratique atividade física adequada, fazendo exercícios que ajudem a liberar a tensão acumulada, a mover a energia mental e emocional parada e a melhorar a circulação. A atividade física melhora a nossa a digestão e desintoxica o corpo, incentivando a correta eliminação, além de promover um sono reparador. Quando fazemos exercícios inadequados e em excesso também podemos comprometer nosso sistema imunológico. Adote uma caminhada diária de vinte minutos é excelente para todo o nosso sistema;
  • Adote práticas de meditação e tratamentos ayurvédicos. No Ayurveda há uma série de terapias sutis que ajudam a cultivar a consciência, além de limpar os nadis (canais energéticos), digerir ama (toxinas) e aliviar o estresse, melhorando a qualidade de ojas e consequentemente a imunidade do corpo.
  • Pranayama, o prana, a respiração vital, é a essência sutil da força da vida que nos anima, está em todas as células e tecidos de todo o corpo e é transportado e estimulado pela respiração. O prana que absorve restaura a fluidez e a vitalidade dos sutis canais de energia do corpo, libera a tensão acumulada e apoia o sistema nervoso como um todo,  o tempo todo digerindo e eliminando estagnação e ama. Uma ótima indicação, quando o estresse é o principal fator que compromete o sistema imunológico, é o Nadi Shodhana (respiração alternada das narinas).

Yoga

O yoga ajuda a dissipar a tensão, movimenta o prana, limpa a estagnação e incentiva a fluidez nos tecidos, no corpo sutil e nas esferas mentais e emocionais.

Meditação

A meditação tem o poder de reconfigurar o nosso cérebro, nos ajudando a cultivar uma consciência passiva, acalma o sistema nervoso, diminui o estresse estimulando uma resposta mais saudável a situações estressantes.

Quais são as plantas utilizadas no Ayurveda que ajudam o nosso Sistema Imunológico? 

  • Açafrão – fortalece e reforça o sistema imunológico, ajuda a purificar o sangue, fortalece a digestão e elimina toxinas naturais do trato digestivo;
  • Gengibre – estimula o sistema imunológico, acende o fogo digestivo, queima ama, promove a expectoração saudável, limpa o sangue e a linfa, estimula a circulação e a transpiração saudáveis ​​e remove o excesso de toxinas dos pulmões;
  • Limão – tem ação de depurar, desintoxicar e alcalinizar o sangue, fortalecendo o sistema imunológico e circulatório, é considerado um antibiótico e antiviral;
  • Tulsi – esta planta é reverenciada na Índia e normalmente é mantida dentro e fora de casa por possuir propriedades profundamente purificadoras. Tulsi remove o excesso de toxinas dos pulmões e do trato respiratório, promovendo a circulação saudável e a digestão forte, ajuda a manter uma temperatura adequada no corpo.
  • Gargarejos de ervas e spray de garganta – são excelentes para tratar os primeiros sinais de estresse, pois a garganta é um dos locais onde o nosso sistema imunológico pode apresentar características de desequilíbrios como sintoma. As ervas sugeridas são: gengibre, alcaçuz, açafrão, erva-doce, cravo, etc. Estas ervas poderão lubrificar, acalmar, limpar inflamações, melhorar a voz, além de ajudar a fortalecer o sistema imunológico.
  • Chyavanprash – é uma geleia tradicional de ervas ayurvédica, feita à base de frutas de amalaki, sendo uma fórmula de equilíbrio que estimula o agni, ajuda a proteger o corpo contra o estresse e fortalece o sistema imunológico.

As substâncias como o leite, ghee e o mel, funcionam como carreadores no nosso organismo, isto é, veículos transportadores que ajudam a fornecer os princípios ativos das ervas em nossos tecidos.  

O Instituto Atmo Danai tem no Ayurveda a sua principal linha terapêutica  e dispõe de profissionais qualificados, que poderão orientar tratamentos voltados para fortalecer a saúde, além de aulas de yoga, meditação e cursos de formação terapêutica.

Texto escrito por Atmo Danai (diretora, terapeuta corporal, educadora física, mestra em reiki, terapeuta ayurveda)

Reprodução: protegido por direitos autorais – se for compartilhar, por gentileza, citar a fonte. 



Trigunas (sattva, rajas, tamas) e os efeitos sutis dos alimentos

“Dieta é tudo o que é ingerido por qualquer campo e através de qualquer sentido de percepção, sob qualquer forma da mente e qualquer forma de intelecto.” (Charak Samhita)

Este conceito deixa bem claro que o importante não é somente o alimento que comemos, mas também tudo que podemos perceber e assimilar por meio dos sentidos.

Podemos notar a manifestação de estados emocionais e suas influências em nossa alimentação em diversos momentos. Por exemplo: se você está com muita fome e sente o cheiro da sua comida favorita sendo preparada, os sentidos gustativos são estimulados e logo começará a salivar. Quando começa a andar em direção a ela, seu telefone toca, e, ao atender, recebe a notícia da morte de um parente. No mesmo instante, acaba a sua fome e toda aquela preparação do seu corpo, sistema digestivo e sensação de fome deixa de existir rapidamente.

Isso indica que tudo ao nosso redor, e não só a comida, influencia a nossa nutrição. Portanto, devemos fazer as escolhas que sejam mais adequadas se quisermos ter uma boa saúde.

A IMPORTÂNCIA DOS ALIMENTOS, A INFLUÊNCIA DO INDIVÍDUO NA DIETA E OS FATORES RELACIONADOS COM A DIETA

“Os alimentos sustentam a vida dos seres humanos. Todas as criaturas no universo necessitam deles. Compleição, clareza, boa voz, longevidade, felicidade, alegria, nutrição, força e intelecto, todos dependem da alimentação. As ações para a realização do mundo, na vida divina e na iluminação, todas dependem da alimentação.” (Charak Samhita, Sutrasthan 27.349-350)

O Ayurveda considera vários fatores como fundamentais na escolha de uma dieta. Essa escolha deve ser coerente com o estágio de vida em que se encontra o indivíduo, e também com a sua ocupação, que pode ser sedentária, atlética ou monástica. A manifestação do fogo digestivo, chamado de agni, pode ser alta, irregular ou baixa, sendo um importante fator avaliado pelo Ayurveda frente à seleção dos alimentos em uma dieta. A prakriti (constituição individual) e o vrikriti (o que está em desequilíbrio) são determinantes na escolha dos alimentos para compor uma dieta.

A quantidade e a qualidade do alimento, por exemplo, são aspectos associados ao tipo de agni manifestado no indivíduo. O modo de preparo influenciará no tipo do efeito sutil (TRIGUNAS, o que veremos adiante) que o alimento vai exercer sobre o indivíduo. Veremos nessa mesma vertente a influência das horas do dia sobre o agni, bem como a relação entre as estações climáticas e os ciclos dos doshas.

O Ayurveda aponta combinações incompatíveis em uma dieta e também alimentos (ou condimentos) antídotos para amenizar possíveis efeitos agravadores dos atributos de outros alimentos. Quantidade, temperatura e períodos de ingestão de líquidos no agni do indivíduo são importantes fatores avaliados pelo Ayurveda, pois a ingestão excessiva de líquidos pode diminuir o agni. O local da alimentação, por sua vez, pode provocar efeitos sutis positivos e negativos nos pratos, efeitos que acabam repercutindo no corpo e no processo de digestão.

Uma dieta e digestão equilibradas dependem da alimentação e nutrição adequadas e da relação entre digestão e metabolismo. Desse modo, o Ayurveda recomenda o alimento mais fresco, da estação, sem agrotóxicos, cheio de vida e preparado na hora da refeição. A nutrição adequada é o resultado do alimento que o indivíduo come, somado a sua capacidade de digestão. Metabolismo equilibrado é a habilidade do corpo de processar todas as substâncias do alimento sem desgaste ou esforço.

Para compor uma dieta, o Ayurveda enfatiza a seleção e preparo dos alimentos, a natureza e necessidades do indivíduo e a composição, pureza, quantidade e qualidade dos alimentos.

Antes de estudarmos esses aspectos, vamos conhecer definições importantes sobre as qualidades sutis da matéria para compreendermos como as características dos alimentos influenciam o corpo.

OS TRIGUNAS (OS 3 ATRIBUTOS DA MATÉRIA)

DEFINIÇÃO DE SATTVA, RAJAS E TAMAS

As qualidades sutis da matéria abrangem sattva, que se refere à inteligência pura e promove o equilíbrio; rajas, que constitui a energia e provoca o desequilíbrio; e tamas, a substância que, por sua vez, produz a inércia. Analisaremos agora o conceito dos gunas segundo os Vedas:

“Pureza, paixão e inércia, essas qualidades, ó Arjuna, nascem da natureza e limitam aquele que habita o corpo, ó indestrutível.

Sattva, por ser desprendida de impurezas, caracteriza-se por iluminar e ser livre de doenças e por aprisionar pelo apego à felicidade e ao conhecimento, ó impecável.

Saiba que rajas tem a natureza das paixões, sendo a origem da sede (de prazeres sensuais) e do apego. Ela aprisiona rápido o encarnado, ó Arjuna, pelo apego à ação.

Porém, saiba que tamas nasce da ignorância. Ilude a todos que habitam o corpo, aprisiona com rapidez, ó Ajurna, através da indiferença, preguiça, indolência e sonolência.

Sattva vincula-se à felicidade, rajas à ação, ó Arjuna, ao passo que tamas, encobrindo o conhecimento, vincula-se à indiferença.” (Bhagavad gita, XIV).

Segundo Maharishi Mahesh Yogi, em seu comentário sobre o Bhagavad-gita, toda a criação consiste na interação dos três gunas (sattva, rajas e tamas), nascidos de prakriti (ou natureza). O processo da evolução é conduzido por esses três gunas.

Evolução significa criação, e, em seu desenvolvimento progressivo e em sua base, está a atividade. Esta necessita de rajo-guna para criar impulso, e de sattva-guna e tamo-guna para manter a direção do movimento.

A natureza de tamo-guna é frear ou retardar, mas não se deve pensar que, quando o movimento é para cima, tamo-guna está ausente. Para continuar qualquer processo, deve haver etapas, e em cada uma delas, por menor que seja em espaço e tempo, é preciso haver uma força para mantê-la e outra para fazê-la evoluir a uma nova fase. A força que a faz evoluir é sattva-guna, enquanto que tamo-guna é a que a freia ou retarda para manter o estado já produzido, para que este funciona como a base do próximo nível.

Toda a vida no campo relativo está sob a influência dos gunas. O perecível é a existência relativa e o imperecível, o Ser absoluto. Portanto, para dar-lhe a experiência direta do estado absoluto da vida, Ele pede que Arjuna “esteja livre dos três gunas”.

Independentemente do campo dos 3 gunas em que você se encontre, daí deve começar a mover-se em direção a planos mais sutis dos gunas. E, quando chegar ao plano mais sutil, saia dele, transcenda-o, esteja consigo mesmo, “possuído pelo Ser” – “livre da dualidade”, “sempre firme na pureza”, “independente de posses”.

Esta é a técnica de realização instantânea. O Senhor mostra para Arjuna um meio prático de convergir a mente ramificada para o foco do intelecto resoluto. Aí está uma técnica eficaz para levar a mente a uma condição em que todas as diferenças se dissolvem, o que leva o indivíduo ao estado de realização.

OS EFEITOS SUTIS DOS ALIMENTOS

Os alimentos podem ser classificados como sáttvicos, rajásicos e tamásicos, conforme os efeitos sutis que provocam no corpo.

ALIMENTOS SÁTTVICOS

Os alimentos sáttvicos são considerados leves, puros, frescos, de fácil digestão, de sabor suave e adocicado. São alimentos formadores dos tecidos, promovem resistência física, saúde equilibrada e longevidade.

Têm o potencial de ativar a mente superior, os bons sentimentos e o refinamento das emoções, pois estabilizam a mente, elevam a consciência e a espiritualidade. Promovem o movimento para dentro, a introversão.

A dieta vegetariana ou lactovegetariana é mais sáttvica do que a dieta à base de carnes e produtos de origem animal.

Os alimentos sáttvicos são:
– a maioria dos legumes frescos;
– grãos (recém preparados);
– leguminosas;
– leite;
– alimentos adocicados;
– ghee (manteiga clarificada sem sal);
– nozes, castanhas e sementes;
– óleos prensados a frio;
– mel e água de fonte natural.

ALIMENTOS RAJÁSICOS

Energeticamente, os alimentos rajásicos aumentam o fogo e promovem a extroversão, o movimento para fora, a criatividade, a agressão e a paixão. De modo geral, são excitantes e estimulantes do sistema nervoso.

Estimulam a energia vital e a atividade mental e são indicados para casos em que o indivíduo se encontra em um estado letárgico, inerte ou esgotado, pois o esgotamento também pode provocar a letargia. Nos textos clássicos, estes alimentos eram “indicados para guerreiros antes da batalha”.

São considerados alimentos rajásicos:
– a maioria dos alimentos fermentados;
– iogurte ou kefir;
– alho e cebola;
– todos os tipos de pimenta;
– ovos;
– queijos, ricota;
– amendoim;
– azeitonas verdes e pretas com sal;
– café, chá-mate, chá preto, chá verde, chimarrão e guaraná-do-
amazonas.

ALIMENTOS TAMÁSICOS

Caracterizam-se, de modo geral, como pesados, de difícil digestão e fermentados. Aumentam a obscuridade e confusão mental, embotando a consciência. Deprimem, induzem à inércia, impulsividade, emoções inferiores, lassidão e torpor, e provocam, ainda, o desequilíbrio, doenças e morte.

Entre os alimentos tamásicos, incluem-se:
– carnes vermelhas;
– carnes industrializadas;
– bacalhau salgado;
– queijos fermentados e de odor forte;
– pimentas, pimentão, temperos muito fortes;
– bebidas alcoólicas em geral;
– alho, alho poró e cebola.

O modo de preparo também pode atribuir um efeito sutil tamásico ao alimento, como, por exemplo, frituras, conservas, preparados em microondas, tóxicos em geral, fast food, comidas requentadas, sucos de frutas engarrafados e/ou alimentos congelados.

 

Texto por Mario JP Neto – terapeuta Ayurveda

Coordenador do curso Ayurveda Clássico – Autoconhecimento e Formação

Site oficial: www.satvayurveda.com

 


MATRÍCULAS ABERTAS:  Módulo Culinária Ayurvédica – dias 13 e 14/07

Tópicos: Culinária Ayurvédica Prática; Dietoterapia e desintoxicação ayurvédica

Com Mario JP Neto e terapeutas convidados (Atmo Danai, Daniel Sales, Dr. Gaurav Davee)

Local das aulas: Sítio Vale das Flores, Altiplano Leste, Brasília-DF

Valor: módulo avulso – R$ 520 à vista / 2 x R$ 270 / em até 18x no PagSeguro (consulte-nos) Aceitamos cartão, cheque, depósito.

INSCREVA-SE AQUI.

O Ayurveda e a alimentação consciente

Eu me alimento corretamente?  Por que algumas pessoas comem alguns alimentos e não tem problemas digestivos ou alergias enquanto outros tem?

Já reparou que alguns alimentos nos deixam mais agitados ou calmos? E outros nos deixam mais pesados ou leves. Já reparou que em alguns momentos do dia temos um apetite diferente? Ora mais forte, ora mais fraco ou até não temos fome.

Já reparou que as estações trazem mudanças significativas pra nossa fisiologia (influenciando nosso metabolismo) assim como o tipo de alimentos que a natureza nos oferece?

Essas e muitas outras perguntas surgem a nossa mente a partir do momento que começamos nos questionar e tomar consciência da importância de uma dieta adequada.

A lógica do Ayurveda nos faz desenvolver uma percepção clara e fácil de ser aplicada as nossas escolhas e condições! Sejam elas quais forem!

Nossas escolhas é que criam a nossa realidade e consequentemente nossa saúde! O mais importante é que as mesmas sejam conscientes. A consciência de nossa realidade interna assim como a realidade externa (meio ambiente) estão em constante mutação, portanto, um entendimento apropriado dos atributos que regem a natureza se faz necessário.

Consciência é tomar conhecimento da totalidade da realidade da vida.

Essa realidade envolve: aquele que se alimenta, sua natureza e constituição fisiológica, suas características constitucionais atuais, o lugar (meio ambiente) e a hora do dia, a época do ano, o tipo de alimento e seu preparo. Tudo isso influencia positivamente ou negativamente a nossa vida!

A questão é: como usar a nosso favor todo esse conhecimento?

Antes de qualquer sistema de cura ser desenvolvido na Terra, os Rishis (Sábios da era védica) desenvolveram o Ayurveda (A Ciência da Vida Longa e Feliz) e transmitiram ao longo das eras por mais de 5 mil anos. Essa sentença “A Ciência da Vida Longa e Feliz” faz sentido quando conhecemos a fonte de onde todo conhecimento surge.

As famílias mais tradicionais que tem várias gerações de praticantes de Ayurveda, e seus ancestrais vivem uma vida realmente longa e livre de doenças.

Todo esse conhecimento está disponível e acessível a todos que desejam desfrutar graças as generosidade desses grandes mestres da humanidade que transmitiram através de gerações e diversos manuscritos.

Vamos juntos? 

Curso Ayurveda Clássico – Autoconhecimento e Formação

Com Mário JP Neto e professores convidados, renomados terapeutas ayurvédicos. 

Dias: 08 e 09 de junho (final de semana)

Módulo IV: Culinária Ayurvédica Prática / preparo de alimentos e refeições baseadas nos princípios fundamentais do Ayurveda.

SAIBA MAIS

Os alimentos sátvicos de acordo com o Ayurveda

De acordo com o Ayurveda, os alimentos são divididos em sátvicos, rajásicos e tamásicos (de acordo com os três gunas, sattva, rajas, tamas, presentes na natureza, no corpo, na mente, nas ações e na comida), por sua capacidade de intensificar essas características em nós quando os ingerimos.

Os alimentos sátvicos são equilibrados, são os que contém maior força vital (prana), o maior poder de cura em nós, além de ajudar a harmonizar os doshas. Equilibram o corpo e a mente, promovem clareza mental, aumentam o amor e a compaixão e favorecem o desenvolvimento de um forte intelecto e de uma boa memória.

São os alimentos de melhor qualidade, pois melhoram a saúde e a força, a energia e a vitalidade, e estabelecem a base para um estado mental sátvico (presença, leveza, firmeza, paz, serenidade). São eles: a maioria das hortaliças, frescas e orgânicas, vegetais, frutas (da estação), legumes, grãos integrais, sementes.

 

(*com trechos do livro A bíblia do Ayurveda / Anne McIntyre) 


Ficou interessado(a) pelo tema e quer saber mais? Venha estudar conosco sobre essa Ciência da Vida. Oferecemos o curso, inédito em Brasília, Ayurveda Clássico – Autoconhecimento e Formação.

Duração: 2 anos (completa)

Dias: 08 e 09/06 (módulo Culinária Ayurvédica)

Confira o conteúdo programático, valores, corpo docente: 
http://bit.ly/PTCayurvedica